logo-alto-tiete

blog Alto Tietê

Como destinar resíduos orgânicos?

Como destinar resíduos orgânicos?

Realizar a destinação correta do lixo é uma preocupação de muitas empresas, tendo em vista os impactos ambientais gerados pela sua produção. Com os resíduos orgânicos, não é diferente.

Por se tratarem de matéria orgânica, que se decompõe de forma espontânea, não é possível destinar esses itens ao processo de reciclagem, a medida mais conhecida de reaproveitamento de materiais.

Ainda assim, é possível dar uma destinação segura e adequada a esses itens.

Nesse sentido, é preciso adotar medidas alternativas para evitar que o descarte incorreto traga problemas ambientais que afetam a população de modo geral.

Continue a leitura e saiba o que são os resíduos orgânicos e como dar o destino correto a eles!

O que são resíduos orgânicos?

Os resíduos orgânicos são caracterizados por serem um material natural, que se degrada espontaneamente na natureza.

Alguns exemplos são os restos de alimento, como os talos e cascas de vegetais, casca de ovo e borra de café.

Podas de vegetação, folhas secas e esterco também são exemplos comuns desse tipo de resíduo.

Apesar de serem materiais que descartamos com frequência no dia a dia, não é apenas a população que produz esse lixo.

Os setores industrial e agrícola são responsáveis por gerar a maior parte desse tipo de resíduo.

Embora se decomponham de forma natural, o descarte incorreto desses itens pode trazer impactos ambientais negativos para o planeta e para a população.

Durante o seu processo de decomposição, é comum que seja produzido o chorume, que é um líquido poluente.

Além disso, também ocorre a emissão de gás metano na atmosfera e a proliferação de vetores de doenças, tornando esse processo um problema de saneamento básico e saúde pública.

No caso do descarte de alimentos, estima-se que seja mundialmente desperdiçado mais de um terço do que se produz anualmente para o consumo humano.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), são 1300 bilhões de toneladas de alimentos descartados.

Trata-se de um número alarmante, tanto pelo desperdício que fica evidente quanto pelos impactos ambientais que podem ser gerados a partir de uma destinação inadequada.

Só no Brasil, segundo estudos da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (ASSEMAE), são produzidas 37 milhões de toneladas de resíduos orgânicos anualmente.

Assim, o descarte é um ponto que gera preocupação no território nacional.

O que fazer com os resíduos orgânicos?

Devido aos problemas ambientais que podem ser gerados por seu despojamento incorreto, é importante conhecer alternativas adequadas e seguras para os materiais orgânicos.

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre) mostra dados alarmantes no descarte de resíduos sólidos, mas também aponta esperança.

Em 2020, foram contabilizadas 2,7 mil cidades que descartavam os resíduos incorretamente em locais como lixões.

Embora seja um número alto, trata-se de uma quantidade muito menor que a observada no período anterior.

Esse fator indica que o descarte adequado do lixo é uma preocupação e iniciativa crescente ao nível nacional.

Quanto aos resíduos de natureza orgânica, há duas maneiras principais de dar destino a esse lixo de forma apropriada.

Compostagem

A compostagem é um tipo de tratamento destinado aos resíduos orgânicos.

O processo consiste na criação de um ambiente que facilite a decomposição natural dos materiais descartados.

É um procedimento de longa duração, pois depende da ação de microorganismos como bactérias e fungos.

Para garantir seu sucesso, são controlados fatores como temperatura, luz e umidade do local onde se desenvolve a compostagem.

Uma variação que tem tempo de duração reduzido é a vermicompostagem, que utiliza minhocas no processo de decomposição da matéria orgânica.

No entanto, nem todo lixo orgânico pode ser aproveitado pela técnica, que demanda determinadas propriedades na composição do material.

Por isso, a atuação de empresas que realizam o procedimento é essencial, pois é necessário que os resíduos passem por uma análise cuidadosa.

Vantagens

A grande vantagem da utilização dessa técnica, seja com ou sem o uso de minhocas, é que o resultado é um adubo rico em nutrientes, que pode ser comercializado.

O fertilizante produzido também é uma opção mais sustentável para tratar o solo, pois muitos adubos minerais prejudicam o meio ambiente.

Assim, o resíduo é reaproveitado e reinserido no mercado, podendo ser utilizado em outros setores.

Trata-se de uma maneira eficaz de colocar em prática a economia circular, um conceito importante para a criação de um mercado e uma cadeia de produção mais sustentáveis.

Aterro sanitário

Os aterros sanitários também consistem em uma maneira responsável de dar destino aos resíduos orgânicos.

Esse tipo de obra é projetado justamente para que os materiais que não podem ser reciclados ainda possam ser descartados de forma segura.

Nesses locais, o lixo é aterrado, não ficando exposto ao ar livre, como ocorre nos lixões, que trazem diversos problemas para o meio ambiente e a saúde pública.

Os projetos de aterros são feitos de forma criteriosa, pensando em todos os aspectos do descarte que podem prejudicar a natureza.

Contaminação do solo, poluição dos lençóis freáticos e emissão de gases na atmosfera são preocupações do engenheiro que projeta o local, aplicando estratégias que evitam esses eventos.

Vantagens

A própria configuração desses locais é pensada para trazer benefícios à natureza através de um descarte mais responsável dos resíduos.

Nos aterros sanitários, também é realizado um tratamento para garantir que o chorume liberado no processo de decomposição da matéria orgânica não prejudique a natureza.

Trata-se de uma destinação mais simples, já que não há necessidade de separar os materiais descartados, nem de controlar o seu processo de degradação.

Além disso, essa alternativa consiste em uma solução prática e de baixo custo, sendo bastante atrativa para a gestão dessa questão em empresas.

Assim, cada empreendimento pode analisar sua produção de resíduos orgânicos e concluir qual a melhor forma de descarte a ser aplicada em seu contexto.

Para isso, contar com uma cooperativa que realize o processo de destinação do lixo é fundamental.

Conheça o Grupo Alto Tietê! Somos uma empresa especializada no processamento dos resíduos resultantes dos processos produtivos de empresas e comércios.

Nosso comprometimento é voltado tanto para o cliente quanto para a preservação do meio ambiente.

Visite nosso site e saiba mais sobre nossos serviços!

Últimos Posts

Entre em contato

Siga nosso instagram

Curta nosso Facebook

Endereço

Av. Adhemar Pereira de Barros, 173
Jardim Santa Maria, CEP 12.328-300
Jacareí – SP

Atendimento

Segunda a sexta das 08h às 18h, exceto feriados

FIXO PARA TODAS AS REGIÕES

(12) 3591-0995

Institucional

E-MAIL

contato@grupoaltotiete.com.br

WHATSAPP

(12) 97405-1363

Equipamentos

AGÊNCIA WEB

DBGM Creative Studio

PARCERIA

MIDIASIM

© Alto Tietê Comércio de Resíduos e Serviços Ambientais Ltda. – Todos os direitos reservados.

Entre em contato

Siga nosso instagram

Curta nosso Facebook

Endereço

Av. Adhemar Pereira de Barros, 173
Jardim Santa Maria, CEP 12.328-300
Jacareí – SP

Atendimento

Segunda a sexta das 08h às 18h,
exceto feriados

FIXO PARA TODAS AS REGIÕES

(12) 3591-0995

E-MAIL

contato@grupoaltotiete.com.br

WHATSAPP

(12) 97405-1363

AGÊNCIA WEB

DBGM Creative Studio

PARCERIA

MIDIASIM

© Alto Tietê Comércio de Resíduos e Serviços Ambientais Ltda. – Todos os direitos reservados.

Endereço

Av. Adhemar Pereira de Barros, 173
Jardim Santa Maria, CEP 12.328-300
Jacareí – SP

Atendimento

Segunda a sexta das 08h às 18h,
exceto feriados

FIXO PARA TODAS AS REGIÕES

(12) 3591-0995

E-MAIL

contato@grupoaltotiete.com.br

WHATSAPP

(12) 97405-1363

AGÊNCIA WEB

DBGM Creative Studio

PARCERIA

MIDIASIM

© Alto Tietê Comércio de Resíduos e Serviços Ambientais Ltda. – Todos os direitos reservados.