logo-alto-tiete

blog Alto Tietê

Quem realiza a coleta seletiva?

Quem realiza a coleta seletiva?

A produção desenfreada de lixo e seu descarte inadequado trazem grandes prejuízos ao planeta. Nesse sentido, a coleta seletiva é uma ferramenta valiosa no combate à poluição do meio ambiente.

De acordo com o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2020, o país gerou 79,1 milhões de toneladas de lixo em 2019. O estudo também mostrou que cada brasileiro produz, em média, 379,2 kg de lixo por ano, ou seja, mais de 1 kg por dia.

Essa é uma estimativa alarmante sobre a quantidade de lixo que um cidadão produz no seu dia a dia, mas indústrias e empresas tendem a gerar números ainda maiores.

Reduzir a produção de resíduos, tanto ao nível individual quanto industrial, é uma opção interessante, mas raramente viável. 

Por isso, a coleta seletiva é uma aliada na redução de danos causados ao planeta pelo lixo que produzimos enquanto sociedade.

Continue a leitura e entenda como funciona e qual a importância desse processo.

O que é coleta seletiva?

A coleta seletiva corresponde ao recolhimento de resíduos previamente separados de acordo com sua natureza.

Dessa forma, esse método é o que permite dar o destino adequado a cada tipo de resíduo, diminuindo os impactos ambientais do consumo e da sua consequente produção de lixo.

Para ser realizada essa categoria de coleta, é preciso que o lixo esteja separado de acordo com sua composição.

Ela tende a ser realizada por empresas especializadas no procedimento, facilitando a implantação dessa medida em âmbitos residenciais e também profissionais.

A separação do lixo, por sua vez, é uma prática que pode ser facilmente instituída em casa, transformando-se em um hábito, ou mesmo no processo de produção de organizações.

Quais as cores da coleta seletiva?

As lixeiras coloridas se tornaram um dos símbolos mais marcantes do processo de reciclagem, sendo que cada cor corresponde a um tipo de resíduo a ser descartado.

Pensando na sistematização e identificação de materiais ao separar o lixo, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) estabeleceu um código de cores a ser utilizado na identificação de cada resíduo.

É comum encontrarmos lixeiras que atendem a esse código em locais públicos, mas nem sempre o descarte apropriado é respeitado.

Entender o que cada cor representa é um conhecimento que pode facilitar a realização da coleta seletiva e, consequentemente, a redução do impacto causado pelo lixo que produzimos no meio ambiente.

As cores utilizadas no código e seus respectivos significados são:

  • azul: papel e papelão,
  • vermelho: plástico,
  • verde: vidro,
  • amarelo: metal,
  • marrom: resíduos orgânicos,
  • preto: madeira,
  • roxo: resíduos radioativos,
  • laranja: resíduos perigosos,
  • branco: resíduos ambulatoriais e dos serviços de saúde,
  • cinza: resíduo não reciclável ou misturado.

De forma geral, é mais comum que encontremos as cores azul, vermelho, verde e amarelo em locais públicos, pois correspondem a materiais mais utilizados na produção de embalagens.

No entanto, é importante ter consciência de que não apenas esses materiais, mas todo tipo de resíduo possui um descarte adequado, mesmo quando não é possível reciclar o material.

Qual sua importância?

A coleta seletiva desempenha um papel importante no controle de danos causados pelo lixo produzido pela sociedade.

O descarte inadequado dos itens pode causar graves problemas socioambientais, prejudicando a natureza e a qualidade de vida da população.

Em áreas urbanas, por exemplo, o acúmulo de lixo descartado incorretamente pode levar a um acúmulo de resíduos sólidos em áreas de drenagem, o que gera alagamentos e enchentes.

Além disso, o acúmulo de lixo pode dar origem a pontos de proliferação de mosquitos, entre os quais podem estar incluídos alguns vetores de doenças.

O vento e a chuva também podem transportar os produtos descartados nas ruas para rios e mares, prejudicando toda a vida que habita o ambiente aquático.

Também é importante lembrar dos inúmeros prejuízos causados pelos lixões, que poluem o solo, os lençóis freáticos, produzem gases tóxicos e podem transmitir doenças para aqueles que vivem em seus arredores.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) instituiu em 2010 que os lixões deveriam ser erradicados do país, por conta de seus inúmeros danos ao meio ambiente e à saúde pública.

No entanto, essa ordem não se concretizou durante todo esse período e o Brasil ainda conta com diversos lixões a céu aberto.

Tendo em vista esse panorama preocupante em relação ao descarte de lixo no Brasil, a coleta seletiva surge como uma alternativa capaz de alterar esse quadro.

Através dessa prática, todo resíduo é analisado e, quando possível, direcionado a centros de reciclagem que darão a ele um destino apropriado.

Os materiais que não puderem ser reaproveitados, por sua vez, são enviados a aterros sanitários, locais projetados para oferecer o descarte seguro de rejeitos.

Em alguns casos, também pode ser utilizado o processo de incineração desses materiais.

Contar com essa maneira de coleta, portanto, é uma medida que favorece a proteção do meio ambiente e, por consequência, uma possível melhoria da qualidade de vida de toda a população.

Quem realiza esse tipo de coleta?

Essa forma de coleta pode ser realizada tanto pela esfera pública quanto pela privada.

Geralmente, os próprios municípios contam com um sistema, provendo esse serviço para a população.

No entanto, é importante saber que essa não é a única forma de dar um destino adequado aos seus resíduos.

Como se sabe, nem sempre é viável aguardar que seu município disponibilize um serviço de forma eficiente, sendo esse também o caso da coleta de lixo.

Felizmente, nesses casos também é possível contratar os serviços de empresas especializadas que realizam esse tipo de serviço, promovendo a destinação apropriada.

Essa tende a ser uma opção interessante para condomínios, empreendimentos e indústrias que estejam em busca de um serviço adequado e uma destinação do lixo mais eficiente que aquele oferecido pela prefeitura da sua cidade.

Tendo em mente a importância de dar um destino adequado ao lixo, conheça o Grupo Alto Tietê e conte com um serviço especializado de coleta e destinação dos resíduos produzidos pela sua empresa.

Entre em contato e solicite, sem compromisso, a visita de um dos nossos representantes!

Últimos Posts

Entre em contato

Siga nosso instagram

Curta nosso Facebook

Endereço

Av. Adhemar Pereira de Barros, 173
Jardim Santa Maria, CEP 12.328-300
Jacareí – SP

Atendimento

Segunda a sexta das 08h às 18h, exceto feriados

FIXO PARA TODAS AS REGIÕES

(12) 3591-0995

Institucional

E-MAIL

contato@grupoaltotiete.com.br

WHATSAPP

(12) 97405-1363

Equipamentos

AGÊNCIA WEB

DBGM Creative Studio

PARCERIA

MIDIASIM

© Alto Tietê Comércio de Resíduos e Serviços Ambientais Ltda. – Todos os direitos reservados.

Entre em contato

Siga nosso instagram

Curta nosso Facebook

Endereço

Av. Adhemar Pereira de Barros, 173
Jardim Santa Maria, CEP 12.328-300
Jacareí – SP

Atendimento

Segunda a sexta das 08h às 18h,
exceto feriados

FIXO PARA TODAS AS REGIÕES

(12) 3591-0995

E-MAIL

contato@grupoaltotiete.com.br

WHATSAPP

(12) 97405-1363

AGÊNCIA WEB

DBGM Creative Studio

PARCERIA

MIDIASIM

© Alto Tietê Comércio de Resíduos e Serviços Ambientais Ltda. – Todos os direitos reservados.

Endereço

Av. Adhemar Pereira de Barros, 173
Jardim Santa Maria, CEP 12.328-300
Jacareí – SP

Atendimento

Segunda a sexta das 08h às 18h,
exceto feriados

FIXO PARA TODAS AS REGIÕES

(12) 3591-0995

E-MAIL

contato@grupoaltotiete.com.br

WHATSAPP

(12) 97405-1363

AGÊNCIA WEB

DBGM Creative Studio

PARCERIA

MIDIASIM

© Alto Tietê Comércio de Resíduos e Serviços Ambientais Ltda. – Todos os direitos reservados.